sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Barça lidera ranking de melhor do mundo; Inter é décimo

FC-Barcelona- 2010-Team_photo Quatro brasileiros estão entre os melhores clubes do mundo. A lista é da renomada IFFHS – International Federation of Football History and Statistics. No ranking dos melhores clubes do mundo dos últimos doze meses a liderança é do Barcelona, seguido por Inter de Milão e Bayern de Munique. O melhor sul-americano é o Estudiantes de La Plata, quarto colocado.

Apesar da liderança do Barça, a lista pode mudar, já que o time italiano ganhou o mundial de clubes da FIFA. O Estudiantes confirmou o título nacional e pode subir ainda mais. O Mazembe do Congo subiu duas posições e é o trigésimo.

O melhor brasileiro na lista é o Internacional (10º), seguido por Cruzeiro (14º), São Paulo (15º) e Corinthians (20º). O Santos de Neymar e Ganso aparece na modesta 73ª posição e o campeão brasileiro Fluminense é o centésimo sétimo.

Confira abaixo a lista dos 50 melhores.

Posição/Posição mês passado/ Clube/ País/ Pontuação

1. (2.) FC Barcelona España/4 301,0

2. (1.) FC Internazionale Milano Italia/4 297,0

3. (3.) FC Bayern München Deutschland/4 264,0

4. (7.) Club Estudiantes de La Plata Argentina/4 239,0

5. (6.) Club Atlético de Madrid España/4 236,0

6. (11.) Manchester United FC England/4 235,0

(4.) Chelsea FC London England/4 235,0

8. (5.) Liverpool FC England/4 230,0

9. (8.) Real Madrid CF España/4 222,0

10. (9.) SC Internacional Porto Alegre Brasil/4 217,0

11. (17.) AS Roma Italia/4 216,0

12. (9.) RSC Anderlecht Belgique/3 213,5

13. (24.) Valencia CF España/4 207,0

14. (14.) Cruzeiro EC Belo Horizonte Brasil/4 203,0

15. (15.) Club Libertad Asunción Paraguay/3 199,0

…..(16.) São Paulo FC Brasil/4 199,0

17. (13.) FC do Porto Portugal/3 198,5

18. (27.) Lille Olympique Sporting Club France/4 192,0

19. (19.) Olympique Lyonnais France/4 191,0

….(29.) SC Corinthians Paulista São Paulo Brasil/4 191,0

21. (21.) Juventus FC Torino Italia/4 190,0

….(12.) AFC Ajax Amsterdam Nederland/3 190,0

23. (26.) FC Basel Schweiz/3 189,0

24. (25.) Sevilla FC España/4 187,0

25. (19.) CA Banfield Argentina/4 186,0

26. (56.) Tottenham Hotspur FC England/4 185,0

27. (51.) Olympique de Marseille France/4 184,0

28. (21.) VfB Stuttgart Deutschland/4 183,0

….(56.) FC Shakhtar Donetsk Ukraine/3 183,0

30. (32.) TP Mazembe Lubumbashi Congo DR/2 182,0

31. (36.) Hapoel Tel-Aviv FC Israel/2 180,0

32. (41.) FC København Danmark/3 177,0

33. (35.) PSV Eindhoven Nederland/3 176,0

34. (42.) FC Zenit St. Petersburg Russia/3 175,5

….(40.) CD Universidad de Chile Santiago Chile/3 175,5

36. (38.) Sport Lisboa e Benfica Portugal/3 175,0

37. (23.) SV Werder Bremen Deutschland/4 174,0

….(28.) Fulham FC England/4 174,0

39. (18.) Arsenal FC London England/4 173,0

….(29.) PFC CSKA Moscow Russia/3 173,0

41. (33.) Club de Futbol Monterrey México/3 171,5

42. (44.) CA Vélez Sarsfield Argentina/4 171,0

43. (31.) FC BATE Barysau Belarus/2 170,0

44. (51.) Paris Saint-Germain FC France/4 168,0

45. (33.) Villarreal CF España/4 166,0

46. (38.) Sporting Clube de Portugal Lisboa Portugal/3 165,5

47. (51.) Milan AC Italia/4 163,0

48. (37.) Beşiktaş JK İstanbul Türkiye/3 162,0

49. (43.) CD Cruz Azul Ciudad de México México/3 160,5

50. (67.) SE Palmeiras São Paulo Brasil/4 160,0

*_FELIZ ANO NOVO AOS LEITORES DO BLOG_*

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Especial Estudiantes Pentacampeão – Parte 4 – O fim da fila de 23 anos

historia-y-jugadores-del-campeon-estudiantes-de-la-plata5 Mais de duas décadas passaram, o Estudiantes viu passar grandes jogadores por La Plata e uma sina deixava a torcida aflita, nada de vencer o campeonato nacional. Duas partidas naquele semestre final de 2006 ficariam marcadas para sempre na história do Pincha.

Por La Plata passaram El Loco Palermo, Bernardo Romeo, Scaloni, Pavone e La Brujita Verón sem uma conquista entre 1983 e 2006, quando Verón retornou da Europa para fazer suas feitiçarias na terra natal.

A campanha

gimnasia7A volta do ídolo e o início promissor davam sinais de que coisas boas viriam para os comandados de Diego Simeone, no entanto maus resultados entre a quarta e a sétima rodada tiraram o time das primeiras posições. Depois disso a recuperação. Dez vitórias seguidas, uma goleada histórica por 7 a 0 contra os maiores rivais, Gimnasia y Esgrima e o empate no número de pontos com o Boca levaram ao jogo de desempate. Os xeneizes precisavam apenas de um ponto nas duas últimas rodadas para confirmar o título, mas perderam para Belgrano e Lanús.

gimnasia7up Antes de falar da final, vale um adendo, a vitória por 7 a 0 foi a maior goleada no clássico platense, marcaram Calderón (3), Diego Galván (2), Pavone e Luguercio. Mesmo não marcando gols, Verón teve participação efetiva, duas assistências e outras participações nos gols com belos lançamentos. A goleada rendeu inúmeras gozações, como nas imagens ao lado.

Na decisão o rival era o Papa Taças Boca Jrs, campeão do Apertura 2005 e Clausura 2006, além das Copas Sul-Americanas de 2004 e 2005 e Recopa dos mesmos anos. Contudo, o Estudiantes não se apavorou e mesmo tendo levado o gol logo aos 4 minutos, soube ter paciência mesmo com a expulsão de Alvarez (e Ledesma pelos xeneizes) e foi recompensado aos 64’ com Sosa. O Estádio José Amalfitani lotado parecia vir abaixo quando aos 80’ Pavone marcou o gol do título.

O time de Simeone terminou com 15 vitórias, 2 empates e 3 derrotas. A defesa foi a menos vazada, 12 gols e o ataque o segundo melhor com 35 gols. Essa seria a base da equipe campeã da América em 2009, com Andújar, Ageleri, Braña, Verón e Benítez.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Especial Estudiantes Pentacampeão – Parte 3 - O tri

Estudiantescampeon1983 Em 1983 o Pincha confirmou a brilhante fase e celebrou o tricampeonato, embora tenha substituído o treinador durante o torneio. A campanha começou com Oscar Malbernat no empate contra o Union e terminou com o ex-zagueiro – campeão em 1962 - Eduardo Manera comemorando o título numa fria noite em Avellaneda, contra o vice do ano anterior, o Independiente.

A equipe do Estudiantes era quase a mesma do vitorioso time de 1982, com apenas duas mudanças, na defesa e no gol.

A campanha

Os dois primeiros jogos foram desanimadores para os pinchas, isso porque longe de La Plata a equipe empatou na estreia e perdeu para o Racing de Córdoba. No entanto duas goleadas diante do Unión San Vicente e vitória apertada contra o Racing de Córdoba acalmaram o grupo. A classificação para a segunda fase veio e o Vélez estava no caminho.

Na segunda fase de grupos o Pincha perdeu as duas partidas para El Fortín, mas ganhou as outras quatro contra Nueva Chicago e Instituto, o suficiente para garantir o primeiro lugar.

Em dois jogos sofridos frente ao Ferro Carril Oeste o clube de La Plata avançou rumo ao título, mas a vitória por 1 a 0 e o empate em 2 a 2 serviram para chacoalhar o experiente time albirrojo.

No fim do mês de maio e começo de junho foram jogadas as quartas de final contra Racing e a semifinal diante do Temperley, eles assustaram e complicaram as coisas para o Estudiantes, mas o destino daquela equipe não podia ser outro senão a final.

A decisão mais uma vez seria contra el Rojo, Independiente. Em La Plata os pinchas venceram com soberania e impuseram 2 a 0 no placar. A finalíssima estava marcada para Avellaneda, a casa do rival aonde o clube mandante vinha de quatro êxitos e apenas um empate.

Aos 14 minutos a hinchada roja vibrou com o gol de Giusti, a vantagem diminuíra e mais um gol do Rey de Copas igualava tudo. O primeiro tempo se arrastava para o fim quando Guillermo José Trama deixou o placar empatado aos 44’. Aos 25’ da etapa final o zagueiro Enzo Trossero colocou o Diablo Brownna frente novamente e o sofrimento se prolongou até o apito final de Arturo Ithurralde.

A frase do título

“Estudiantes está feliz, a cidade de La Plata está feliz. Ofereçamos um montão de coisas que trouxeram uma imensa felicidade para a gente”.

Curiosidade

O zagueiro Brown e o meia Trobbiani titulares na campanha foram campeões do mundo em 1986, sob o comando de Carlos Bilardo.

domingo, 19 de dezembro de 2010

Campeão na Colômbia e últimos classificados para Libertadores 2011

once-620_20101219194035865_0_0 Hoje a América do Sul conheceu seus últimos representantes na próxima Libertadores da América 2011. Apenas Colômbia e Chile ainda não conheciam todos seus participantes. No Chile o campeão nacional já era conhecido, faltava o terceiro clube andino, o vencedor da Liguilla, o Unión Española. Na Colômbia o Once Caldas é o campeão e o Tolima é o adversário do Corinthians.
union_celebra_liguilla Los Hispanos decidiram hoje a última vaga chilena na Libertadores, duas colônias disputaram a final, o Audax Italiano era favorito com o craque do nacional, o argentino Mauro Olivi, mas o Unión Española contava com outro argentino, Gustavo Canales, de 28 anos. Foi Canales que marcou três vezes na goleada de 4 a 1 contra La U na semifinal da Liguilla e na quarta-feira fez o gol da vitória nos acréscimos na partida de ida da final.
19Hoje não foi diferente, quando o Audax vencia por 1 a 0, Canales empatou e garantiu o título. Canales já está na mira do Universidad de Chile para a próxima temporada, o preço acordado seria superior a um milhão de dólares. Além do Unión Española, Colo-Colo e U. Católica estão classificados para a Libertadores.
Na Colômbia Once Caldas e Deportivo Tolima se enfrentaram no jogo de volta em Palogrande, Manizales. No primeiro jogo o Tolima venceu por 2 a 1 e tinha a vantagem do empate. No entanto, os Blancos mostraram toda a força, bateram o Tolima por 3 a 1 e ganharam o quarto troféu nacional – os outros foram em 1950, 2003 e 2009. O atacante Dayro Moreno com 16 gols acabou artilheiro do torneio.
Com os resultados todos os confrontos da Pré-Libertadores 2011 estão definidos. Abaixo a tabela, em negrito os favoritos.
Jogo 1 - Corinthians x Deportivo Tolima (COL)
Jogo 2 - Jaguares (MEX) x Alianza Lima (PER)
Jogo 3 - Cerro Porteño (PAR) x Deportivo Petare (VEN)
Jogo 4 - Unión Española (CHI) x Bolívar (BOL)
Jogo 5 - Independiente (ARG) x Deportivo Quito (EQU)
Jogo 6 - Grêmio x Liverpool (URU)
Grupos
Grupo 1
Universidad San Martín (PER)
Libertad (PAR)
Once Caldas (COL)
San Luis (MEX)
Grupo 2
Junior (COL)
Oriente Petrolero (BOL)
León de Huánuco (PER)
Vencedor do jogo 6
Grupo 3
Argentinos Juniors (ARG)
Nacional (URU)
Fluminense
América (MEX)
Grupo 4
Caracas (VEN)
Universidad Católica (CHI)
Vélez Sarsfield (ARG)
Vencedor do jogo 4
Grupo 5
Santos
Colo-Colo (CHI)
Deportivo Táchira (VEN)
Vencedor do jogo 3
Grupo 6
Internacional
Jorge Wilstermann (BOL)
Emelec (EQU)
Vencedor do jogo 2
Grupo 7
Estudiantes (ARG)
Guarani (PAR)
Cruzeiro
Vencedor do jogo 1
Grupo 8
LDU Quito (EQU)
Peñarol (URU)
Godoy Cruz (ARG)
Vencedor do jogo 5

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A Rede Social - Resenha

220px-The_Social_Network_pôster Por tudo que foi dito e pelo que realmente é, seria um exagero dizer que é uma perda de tempo assistir ao filme A Rede Social? Sim, seria. Mas também seria um abuso imaginar que é um baita filme, como o trailer nos faz crer e a crítica também. A verdade é que a história aguça a curiosidade de quase todos, a vontade de saber como o jovem Mark Zuckerberg tornou-se tão rico. O filme é baseado no livro Bilionários por Acaso, de Ben Mezrich, que por sua vez baseia-se na versão de Eduardo Saverin.

Por mais que o filme seja longo e não tenha tanta história para isso, se tornando um pouco cansativo, a ótima atuação de Jesse Eisenberg (do filme Zumbilândia, 2009) no papel de Mark Zuckerberg, a genialidade e o mau-caráter do fundador do Facebook merecem uma ponderação sobre a conduta do jovem.

A maneira como Mark trata as pessoas que são próximas a ele é indigna de uma mente brilhante, é na verdade vergonhosa. Em certo ponto da trama Eduardo Saverin (brasileiro, estudante de Harvard, co-fundador da rede social e amigo enganado por Mark) diz que Mark perdeu o único amigo verdadeiro que tinha. Isso porque Mark traiu seu sócio e o deixou sem praticamente nada. Tudo isso por ambição? Segundo o filme não é bem assim. Na obra a maior intenção de Mark é chamar a atenção da ex-namorada, mesmo que para isso tenha que trair amigos e ser um perfeito babaca.

timecapamarkzuckerberg Além de Zuckerberg e Eduardo, outros personagens são importantes na trama, como os irmãos Winklevoss, que foram trapaceados por Mark. A idéia da criação do Facebook seria originalmente deles. Outra figura essencial é Sean Parker (interpretado por Justin Timberlake), criador do Napster – um dos pioneiros em sites de compartilhamento de músicas. Parker torna-se amigo de Zuckerberg e aconselha o jovem nerd a fazer transações e ao mesmo tempo cria um conflito com Eduardo.

Aspectos do cotidiano das pessoas que usam as redes sociais são retratados e a maneira como ficamos obcecados com as redes de relacionamento é alvo de crítica e até humor, como na cena em que a namorada de Eduardo entra no apartamento dele e diz com raiva “por que você colocou que é solteiro no seu perfil?”. O episódio mostra a importância de divulgar sua vida para os outros por meio das redes de relacionamento. Seria uma ausência de privacidade necessária ou apenas exibicionista?

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

O Chile é dos Cruzados novamente

universidaddechile_efe_30 No começo do mês o Chile conheceu o campeão nacional, depois de cinco anos o Universidad Católica comemorou o título. Desde 2005 sem vencer o Católica goleou o Everton por 5 a 0 e deixou para trás o Colo-Colo, vice-campeão. Foi a décima conquista de Los Cruzados, terceiro maior vencedor do país, atrás de Colo-Colo 29 títulos e U. de Chile 13 títulos.

Ano passado o Católica chegou perto, mas terminou em segundo, justamente atrás do Colo-Colo. Na última conquista o clube de Santiago contou com Villanueva e Darío Conca, hoje ídolo no Brasil. A campanha sem derrotas durante a fase de grupos culminou com título.

Nesta temporada o ataque fez a diferença, foram 77 gmirosevicols marcados em 34 jogos, o melhor do torneio. O artilheiro não podia ser outro, Milovan Mirosevic, o experiente meia de 30 anos que já jogou em dois clubes argentinos e em Israel, marcou 19 vezes.

Outra peça importante no esquema do técnico J. Pizzi (ex-jogador argentino naturalizado espanhol que passou Valência, Barcelona, River Plate e Porto) é o atacante Roberto Gutiérrez, de 27 anos, autor de 14 gols.pizzi

Nesta semana a Federação Chilena divulgou a lista dos melhores do torneio. Não bastasse a ótima reputação dos argentinos após a boa participação chilena na Copa do Mundo com El Loco Bielsa, os destaques da liga foram argentinos. O melhor jogador foi o atacante Mauro Olivi, do Audax Italiano (3ºlugar). O treinador eleito foi Omar Labruna, também do Audax, o primeiro estrangeiro a vencer o prêmio.

Abaixo a lista dos melhores do campeonato.

Equipe Ideal 2010

Posição Jogador Equipe

GOL Jhonny Herrera Audax Italiano

LD Boris Rieloff Audax Italiano

DEF Sebastián Toro Colo-Colo

DEF Mauricio Victorino Universidad de Chile

LI Matías Campos Toro Audax Italiano

MED Felipe Seymour Universidad de Chile

MED Rodrigo Millar Colo-Colo

MED Marco Medel Audax Italiano

ATA Carlos Muñoz Santiago Wanderers

ATA Roberto Gutiérrez Universidad Católica

ATA Mauro Olivi Audax Italiano

Melhor Jogador: Mauro Olivi (Audax Italiano)

Revelação: Lorenzo Reyes (Huachipato)

Melhor Jovem: Álvaro Ramos (Iquique)

Mauro-Olivi-temporada-goleador-wwwanfpcl_OLEIMA20101214_0032_3

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Especial Estudiantes Pentacampeão – Parte 2

est 1982 1982

Depois de conquistar seu primeiro título nacional em 1967, o Pincha conquistou a América do Sul no ano seguinte ao bater o Palmeiras. Ainda em 1968 o clube comandado por Verón venceu o Manchester United por 1 a0 na Bombonera e empatou em Old Trafford para conquistar o mundo.Em 1969 outra vez o albirrojo conquistou a Libertadores e o mundial.

A década de 1970 passou e o Estudiantes não comemorou mais, foi preciso a chegada de Bilardo para que o clube de La Plata voltasse a vencer. O ex-jogador comandou a equipe no Metropolitano de 1982.

A campanha

sabella gremio Quatro vitórias seguidas no começo do torneio e uma derrota pelo placar mínimo para o Boca na Bombonera mostraram a gana da equipe pelo caneco. Apenas mais duas derrotas, 12 empates e 21 vitórias levaram o Estudiantes ao bicampeonato argentino. A defesa composta por Delménico, Camino, Brown, Landucci e A.Herrera foi a menos vazada, levou 18 gols em 36 partidas. Na equipe jogava o atual treinador do time, o meia Alejandro Sabella, que jogou no Grêmio.

Na última rodada o Estudiantes enfrentou o Talleres em Códoba, o clube de La Plata dependia de uma vitória para sagrar-se campeão. Seu rival era o Independiente, o ‘diablo rojo’ que precisava vencer o Racing.

Aos 8’ Jose Luis Brown marcou de pênalti para o Pincha e aos 24’ Hugo Ernesto Gottardi ampliou para os de La Plata em um contra-ataque. Enquanto isso os de Avellaneda apenas empatavam.

Artilheiros de La Plata

O goleador de Pincha foi Guillermo Trama, com 13 tentos, seguido por Hugo Gottardi com 11, José Luis Brown e Marcelo Trobbiani com 7 gols cada.

Frase do título

est 1982 el grafico “Primeiramente pensei em Osvaldo(Osvaldo Zubeldía, ex-técnico de Bilardo, treinador o primeiro campeonato do Estudiantes)... isto é para Zubeldía... isto é de Zubeldla", Carlos Bilardo.

Elenco

Juan Carlos Angel Delménico, Abel Ernesto Herrera, José Daniel Ponce, José Luis Brown, Guillermo José Trama, Marcelo Antonio Trobbiani, Miguel Angel Russo, Julián Camino, Miguel Angel Gette, Hugo Ernesto Gottardi, Alejandro Sabella, Miguel Angel Léeme, Angel Antonio Landucci, Rubén Horacio Galletti, Alberto Alejandro Monzón, Sergio Esteban Gurrieri, Luis Enrique Malvarez, Walter Osvaldo Perazzo, Héctor Vargas, Carlos Héctor Bertero, Daniel Martinez e Claudio OscarGugnali.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Especial Estudiantes Pentacampeão – Parte 1

campeon_67_g O ano de 1967 ficou marcado pela morte do mito argentino Ernesto Che Guevara, em outubro na Bolívia. Mas meses antes um dos maiores clubes do futebol portenho comemorava seu primeiro título de campeão argentino*.

Naquele ano o campeonato argentino mudou o seu formato e passou a ser disputado em dois turnos diferentes, o Metropolitano e o Nacional. Assim como o Apertura e o Clausura de hoje.

O Pincha então treinado por Osvaldo Juan Zulbeldía quebrou a hegemonia dos clubes da capital federal e logrou sua primeira conquista. O clube albirrojo terminou a primeira fase da chamada Zona A em segundo lugar, atrás do Racing, campeão do ano anterior.

A campanha

jrveronCom 11 vitórias, 7 empates e 4 derrotas na Zona A o clube garantiu o segundo lugar e a vaga na semifinal. O inicio foi avassalador, cinco vitórias (incluindo Boca e Racing) e um empate até a derrota diante do Newell’s. Depois a sequência foi apenas regular com vitórias em casa e pouco aproveitamento como visitante. A defesa foi a melhor da primeira fase.

Com 29 pontos – a mesma pontuação do Racing – o Pincha assegurou a vaga na semifinal contra o Platense, líder da Zona B. Na outra partida Independiente e Racing brigavam pela chance de chegar à decisão.

A Bombonera foi o palco da semifinal entre Platense e Estudiantes, uma partida emocionante com sete gols. Perdendo por 3 a1 a virada parecia improvável, mas no fim deu Estudiantes 4 a 3. Na outra partida o Racing passou pelo Independiente por 2 a 0.

Antes da finalíssima Racing e Estudiantes jogaram duas vezes pela Zona A, em ambas o Pincha levou a melhor, vitórias por 2 a 1 e 1 a 0. Jogos duros, assim também deveria ser a final, não? Nem tanto assim. Após um zero a zero no primeiro tempo Madero abriu o placar aos sete minutos. Juan Ramón Verón (foto acima) ampliou aos 24’ e aos 27’ Felipe Ribaudo fechou o placar diante de quase 60 mil pessoas no ‘Gasómetro’.

Frase do título

"... o título nos traz lisonja e responsabilidade. E ninguém irá suportar caímos para terceiro ou quarto lugar. Ganhamos porque soubemos aproveitar todas as oportunidades e porque temos uma boa visão sobre todas as coisas", Osvaldo Zubeldía.

Elenco

maero e bilardo Alberto Poletti, Gabriel Flores, Enry Barale, Hugo Spardo, Alberto Aguirre Suárez, Eduardo Manera, Carlos Pachamé, Raúl Madero, Oscar Malbernat, Hugo Mateos, Carlos Bilardo, Rubén Bedogni, Marcos Conigliaro, Juan Echecopar, Juan Ramón Verón, Eduardo Flores, Luis Zibecchi e Felipe Ribaudo.

* O Estudiantes foi campeão nacional em 1913, mas o futebol ainda não era praticado de forma profissional no país.

A um jogo do penta

velez centenárioHoje sai o campeão do Apertura 2010 e como previa aqui o Estudiantes está com as mãos na taça. O único adversário capaz de tirar de La Plata o título é o Vélez que completou cem anos em janeiro. Lider durante quase todo o torneio o Estudiantes precisa de uma vitória simples para garantir o pentacampeonato.

FBL-ARGENTINA-RIVER-ESTUDIANTESCampeão da Libertadores ano passado e vice do Clausura 2010 os Pinchas dependem apenas de uma vitória simples contra o Arsenal de Sarandí, terceiro colocado. Na rodada passada a goleada por 4 a 0 no River Plate mostrou a gana pelo título. A última conquista dos Pinchas foi em 2006, quando superaram o Boca no jogo final após empate de pontos. A campanha liderada pelo retorno de Verón contou com tropeços nas primeiras rodadas e depois uma sequência de dez vitórias dos albirrojos, incluindo um 7x0 nos rivais do Gimnasia y Esgrima. Na decisão a virada por 2 a 1 contra os Xeneizes com gol de Pavone aos 80’.

DYN55.JPGA última conquista do Vélez é mais recente e também polêmica. Diante de um Huracán em ótima fase com Pastore, Defederico, Nieto e comandado por Cappa em 2009, o time de Liniers marcou um gol irregular de Moralez aos 83’ e levou o troféu. Marcada por empates a campanha do campeão valorizou a defesa que levou apenas 13 gols em 19 jogos. O Velez perdeu apenas uma partida na competição, para o Gimnasia y Esgrima. Destaques para Otamendi, Papa e Rodrigo Lopez. O time de Gareca enfrenta o Racing e dependerá dos gols dos artilheiros Santiago Silva e Martínez.

Curiosidades:

O Estudiantes jogará em Quilmes e não em La Plata, pois o estádio está em obras para a Copa América.

Caso haja empate no número de pontos Estudiantes e Vélez se enfrentarão em um jogo extra.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Seleção do Brasileirão 2010

Após 38 rodadas, brigas, discussões, alegrias, brincadeiras, lances bonitos e feios, é hora de decidir quem se destacou no campeonato. Abaixo segue minha lista com os melhores. concaeliasjonaslucas

Começando pelo técnico, não poderia ser outro senão Muricy Ramalho. Pela campanha no segundo turno Renato Gaúcho merece ser lembrado, assim como PC Gusmão no Ceará, Carpegiani no Atlético-PR e São Paulo.

  1. Neto – Atlético PR
  2. Mariano - Fluminense
  3. Chicão - Corinthians
  4. Alex Silva – São Paulo
  5. Jucilei - Corinthians
  6. Roberto Carlos - Corinthians 
  7. Montillo – Cruzeiro
  8. Elias - Corinthians
  9. Jonas - Grêmio
  10. Conca - Fluminense
  11. Neymar - Santos

Outros destaques.

Goleiros: Fábio – Cruzeiro, Rafael – Santos; Laterais: Gabriel do Grêmio e Gabriel do Palmeiras; Zagueiros: Bolívar- Inter e Dede – Vasco; Volantes: Marcos Assunção – Palmeiras e Williams – Flamengo; Meias: Bruno César – Corinthians, Douglas – Grêmio, Arouca – Santos e Lucas – São Paulo; Atacantes: Magno Alves – Ceará, Loco Abreu – Botafogo, e Thiago Ribeiro – Cruzeiro.

Craque:

Conca – Fluminense; Elias – Corinthians; Jonas – Grêmio e Montillo – Cruzeiro.

Revelação:

Lucas – São Paulo; Gabriel – Palmeiras; Bruno César – Corinthians; Mariano – Fluminense e Neto – Atlético PR.

E pra você, quais os melhores do Brasileirão.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Flu é bicampeão Brasileiro

chamada_4 Em 2009 quase rebaixado e vice-campeão da Sul-Americana, o cenário não era animador para os tricolores cariocas, mas reforços chegaram e um ano depois a redenção. Durante 38 rodadas três times estiveram na luta real pelo título nacional em 2010. O torneio premiou a continuidade do trabalho de Muricy Ramalho no comando do clube e no compromisso de honrar seu contrato. Após três campeonatos com o São Paulo, um vice com o Internacional e uma decepcionante passagem pelo Palmeiras, Muricy levou o Fluminense ao bicampeonato nacional.

Nem só de Muricy vive o novo campeão Brasileiro, aliás, muito por causa de Dario Leonardo Conca, argentino de 27 anos, natural de General Pacheco e nenhuma, eu disse nenhuma partida pela seleção, o Flui levou o caneco. Conca era o sonho de Muricy no São Paulo e hoje é responsável pelo troféu. O meia atuou em todas as 38 rodadas, fez 9 gols e comando o meio de campo.

Foram vinte e seis anos de espera, e o time que contratou Deco, Belletti, Émerson Sheik, Carlinhos, Rodriguinho, Washington e já tinha Fred e a revelação Mariano gritou é campeão, depois de 23 rodadas na liderança.

O Cruzeiro virou pra cima do Palmeiras e ficou com o vice. Porque o Corinthians apenas empatou com os reservas do Goiás. No Olímpico o Grêmio bateu o Botafogo por 3x0 com um gol do artilheiro Jonas e ficou em quarto, agora torce pelo tropeço do Goiás na Sul-Americana para ficar com a vaga na Libertadores.

Vitória e Atlético-GO empataram sem gols e os baianos foram rebaixados. Assim, Grêmio Prudente – ou itinerante, como diria Mauro Cezar Pereira - Guarani, Goiás e Vitória disputarão a série B em 2011. Na série A chegam Coritiba, Bahia, Figueirense e América-MG.

Amanhã lista dos melhores da competição na minha modesta opinião.

FOTO: GLOBOESPORTE.COM

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Fifa decide na quinta as sedes das próximas Copas

Falta muito tempo ainda para as Copas 2018 e 2022, porém nesta semana não se fala em outro assunto. A partir de amanhã as nove candidatas começam a apresentar os projetos, a decisão sai na quinta-feira. Conheça abaixo as candidatas e meus palpites.

*** Grandes chances

** Poucas chances

* Zebra

2018

russ*Rússia

A última participação em mundiais foi em 2002, possui pouca tradição e teria que construir 13 dos 16 estádios. A segurança e a distância entre as sedes são outros problemas. A favor pesa o fato de o país nunca ter sediado um mundial.

 

ingl ***Inglaterra

Dona da maior liga do mundo com estádios modernos e pequenas distâncias são apenas alguns dos dados a favor da candidatura. Ter sido sede de uma Copa e um recente documentário da rede BBC com acusação de subornos pode comprometer.

 

espepor ***Portugal/Espanha

Campeonatos fortes, estádios modernos, boa base hoteleira e curtas distâncias ajudam a candidatura ibérica. A crise econômica e um mundial recente (Espanha em 1982) são os pontos fracos.

 

 

holebel **Bélgica/Holanda

Atual vice-campeã do mundo a Holanda forma com a Bélgica uma parceria um tanto quanto duvidosa, imagine se Brasil e Argentinas fizessem uma candidatura única, é algo parecido. A Euro 2000 realizada pelos dois países e a estrutura são os pontos positivos. A rede hoteleira preocupa.

 

2022

Das cinco candidaturas apenas a do Qatar seria uma grande zebra, pela pouca tradição que o país tem no esporte e pelo forte calor que pode ser uma ameaça aos atletas. No entanto, o dinheiro pode ser um atrativo. A Austrália pode levar o Mundial para a Oceania pela primeira vez e a infra-estrutura do país é favorável, além de ter sido sede Olímpica. As outras três candidatas sediaram uma Copa do Mundo recentemente. Os EUA há 16 anos fizeram o mundial mais lucrativo e sonham com outra Copa. Há quem diz que o país é o favorito. Japão e Coreia sediaram o mundial ainda nesta década e por mais modernos que sejam os estádios, uma segunda edição em tão pouco tempo iria contra o famoso rodízio que a FIFA implantou.

**Austrália

*Coreia do Sul

*Japão

***Estados Unidos

*Qatar

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Frank Sinatra Has a Cold

cia_letras_fama Um dos mais conceituados perfis de todos os tempos está disponível para qualquer um que possa acessar a rede mundial de computadores. Sob o título Frank Sinatra Has a Cold, de Gay Talese, a Esquire publica na íntegra em seu site o perfil, escrito em 1966 e que faz parte da obra Fama e Anonimato.

O perfil conta com centenas de entrevistas e contém mais de 85 mil toques e 15 mil palavras. O mais incrível é a forma como Talese tece o seu texto, de maneira simples. É difícil crer que algum editor daquela época pudesse não mudar o título e também ‘canetar’ o texto. Abaixo o primeiro parágrafo do perfil e depois o link para o texto na Esquire.

 

frank-sinatra-0466-lgFrank Sinatra, segurando um copo de bourbon numa mão e um cigarro na outra, estava num canto escuro do balcão entre duas loiras atraentes, mas já um tanto passadas, que esperavam ouvir alguma palavra dele. Mas ele não dizia nada; passara boa parte da noite calado...

Frank Sinatra está resfriado. Sinatra resfriado é Picasso sem tinta, Ferrari sem combustível — só que pior. Porque um resfriado comum despoja Sinatra de uma jóia que não dá para pôr no seguro –a sua voz–, minando as bases de sua confiança, e afeta não apenas seu estado psicológico, mas parece também provocar uma espécie de contaminação psicossomática que alcança dezenas de pessoas que trabalham para ele, bebem com ele, gostam dele, pessoas cujo bem-estar e estabilidade dependem dele. Um Sinatra resfriado pode, em pequena escala, emitir vibrações que interferem na indústria do entretenimento e mais além, da mesma forma que a súbita doença de um presidente dos Estados Unidos pode abalar a economia do país.

http://www.esquire.com/features/ESQ1003-OCT_SINATRA_rev_

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Duas equipes de duas caras

Uma final de duas equipes que passam por momentos antagônicos nos torneios que disputam. É assim que Goiás e Independiente decidiram o título da Copa Sul-Americana 2010. Já rebaixado no Brasileiro, o clube esmeraldino joga tudo na competição que pode render dinheiro e vaga na Libertadores. O Rey de Copas chega outra vez a final de uma competição internacional enquanto isso no Apertura o clube é apenas o décimo sétimo, três pontos a frente do lanterna.

A campanha no nacional deixa o torcedor goiano triste, mas a possibilidade de disputar a Libertadores anima e acalenta. A chance de glória é real, basta analisar os adversários que o clube eliminou no torneio. Na primeira fase o poderoso Grêmio ficou pelo caminho, depois o gigante uruguaio Peñarol, a seguir uma classificação suada contra o Avaí e por fim a surpresa diante do Palmeiras. Acreditar é possível.

O Independiente faz pífia campanha no Apertura e só não corre riscos de rebaixamento devido ao regulamento que rebaixa os times de piores campanhas nos últimos três anos. A última grande conquista do Rey de Copas foi o Apertura de 2002, quando perdeu apenas duas partidas e levou o título vencendo o San Lorenzo na última rodada. Naquela época faziam parte do elenco nomes como Gabriel Milito – hoje no Barcelona, Guiñazu – conhecido dos colorados e Federico Insúa, ex-Boca.

A disputa está aberta e a tradição dos argentinos é a única vantagem revelante no confronto, mas vale lembrar que tradição não ganha jogo, Grêmio, Peñarol e Palmeiras são exemplos.

sábado, 20 de novembro de 2010

Uma reflexão sobre como tratamos nossos ídolos

ederjofre02_gcom_950 Esta semana o maior pugilista brasileiro de todos os tempos completou 50 anos de seu título mundial do peso galo. Eder Jofre, filho e aluno de ‘Kid Jofre’, derrubou o mexicano Eloy Sanchez por nocaute, no dia 18 de novembro de 1960 em Los Angeles, e conquistou pela primeira vez o titulo mundial.

O Galinho de Ouro, como era chamado, lutava pelo São Paulo Futebol Clube e recebeu homenagem com fotos e um par de luvas autografado por jogadores e comissão técnica.

Esta homenagem nos faz refletir como o povo brasileiro trata seus ídolos. Na maioria das vezes eles são esquecidos – inclusive pela imprensa – e até maltratados. São poucos os personagens que não saem do cenário e do lúdico da população. Até mesmo Pelé é alvo de chacotas. Talvez o mais respeitado de todos os nossos ídolos seja Ayrton Senna. Sim, porque falar de Senna é lembrar nostalgicamente de um momento em que éramos felizes e pueris a ponto de chorar como crianças na frente da televisão em um domingo de manhã. Senna nos dava orgulho, elevou o nome do país.

E temos tantos outros que o fizeram com dignidade, paixão e garra. Gustavo Kurten merecia ser nome ruas, praças, escolas e quiçá estádio, não só em Santa Catarina, mas no Brasil. João do Pulo, Adhemar Ferreira da Silva, Maria Lenk, Oscar Schmidt, Hortência, Paula, a geração do vôlei de 1992, a atual de Bernardinho, poderia me prolongar por mais inúmeros parágrafos, sem ao menos citar craques do futebol, como Zico, Sócrates, Rivelino, Tostão, Zagallo.

A sátira do brasileiro com seus ídolos chega a ser desrespeitosa em certos momentos. Rubinho e Massa, por exemplo, sofrem até hoje com isso. Veja só, Rubinho é o piloto que mais correu na maior categoria do automobilismo mundial, no entanto é lembrado por outros fatos como entregar a vitória para Schumacher. Não que eu ache certo, acredito até que Senna não faria e fiquei decepcionado com Massa, mas daí a debochar dele por isso já é exagero.

A questão principal é a maneira como tratamos nossas “divindades”, o desrespeito, o deboche. Talvez seja a hora de repensar tudo isso, até porque se nós não respeitamos, quem irá respeitar?

Uma dica. Amanhã no Esporte Espetacular reportagem com Eder Jofre e  Eloy Sanchez. Promete.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Futebol de cegos e paralisados cerebrais

Reportagem feita para a Revista Sentidos deste mês, edição 61, sobre a preparação das seleções paraolimpicas de futebol de cinco e futebol de sete.

As seleções não decepcionam

Longe do glamour do milionário futebol de campo, o esporte para cegos e pessoas com paralisia cerebral faz história e se prepara para as Paraolimpíadas 2012

Paixão nacional e esporte mais popular do mundo, o futebol de campo se transformou com o passar dos anos e hoje tem várias vertentes. Exemplos dessa mudança são o futebol de cinco - uma adaptação do futsal para pessoas com deficiência visual - e o futebol de sete, específico para pessoas com paralisia cerebral. Ambos não contam com tanto investimento como o ‘primo’ dos campos, mas superam os desafios e estão sempre na briga por títulos, tendo inclusive uma medalha de ouro paraolímpica.

Clique aqui para ler a matéria completa.

domingo, 14 de novembro de 2010

Mazembe e Seongnam no mundial

1334095_mediumO Mundial de Clubes da Fifa 2010 já tem todas as equipes definidas após as finais na Ásia e na África. A Coreia do Sul consolida sua força no continente asiático e mais uma vez leva o troféu com o Seongnam. Os congoleses do TP Mazembe conquistaram o bi na Tunísia e também garantiram a vaga.

Semana passada os africanos golearam o Espérance no Congo por 5 x 0 e levaram boa vantagem para a partida de volta. Ontem o empate de 1 x 1 renovou o título de campeão africano. Foi o tetracampeonato do TP Mazembe, e o segundo bicampeonato – 1967 e 1968, 2009 e 2010.

1333886_mediumO Seongnam levou o terceiro título para times sul-coreanos nos últimos cinco anos. Em  Tóquio o Seongnam bateu o Zob Ahan do Irã por 3 x 1 e celebrou seu primeiro caneco de Liga dos Campeões.

No mundial os africanos do TP Mazembe enfrentam o Pachuca, do México, na chave que está o Internacional. Do outro lado o Seongnam espera o vencedor de Hekari United, da Papua-Nova Guiné e Al Wahda, dos Emirados Árabes Unidos. Quem passar pega a poderosa e favorita Internazionale de Milão.

O campeonato será disputado entre os dias 8 e 18 de dezembro em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Em breve farei um guia do mundial com todas as equipes. Hora dos colorados secarem os rivais na luta pelo bicampeonato.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Entregar ou não? Discussão apenas para a torcida

Diante da eminente possibilidade de dois dos maiores rivais do Corinthians decidirem o título a favor do alvinegro muita coisa foi dita e até especulada seja por nós da imprensa ou por jogadores. Mas a verdade é que o assunto é antigo e sempre que volta às páginas do jornal rende discussão. Basta lembrar do próprio nacional do ano passado, quando o Timão enfrentou o Flamengo, rival do Tricolor na disputa do título. A questão principal é se os atletas devem entrar neste imbróglio.

O torcedor está no papel dele, tirar sarro com o rival, pedir para entregar o jogo, às vezes até torcer contra o próprio time, por mais que pareça exagero, não o é. Entretanto os jogadores que são pagos pelo clube não devem entrar nesta discussão, muito menos entrar em uma partida para perder, como já vimos até em Copa do Mundo. A sensação é de enganação, de ser ludibriado pelo espetáculo chamado futebol.

felipeVolto ao exemplo da partida entre Corinthians e Flamengo em Campinas ano passado. A torcida corintiana certamente não queria que o time ajudasse o rival, mas os jogadores não podiam entrar no clima da massa. Como fez o goleiro Felipe, hoje no Braga, de Portugal. É verdade que o árbitro foi muito mal e inverteu diversos lances, errou e demasiadamente a favor dos cariocas. No entanto a indignação de Felipe e a sua atitude de nem ao menos tentar defender o pênalti foi algo absurda, repugnante.

grafite sp Anos antes, aliás, o Corinthians viveu algo semelhante, mas na parte inversa da tabela. Dependia de uma vitória do Inter contra o Goiás para permanecer na primeira divisão e novamente em uma arbitragem medonha, nada adiantou. Não adianta nem culpar o Inter por falta de motivação e vingança de 2005. Outro exemplo vem do Paulista de 2003, quando Grafite salvou o time do Parque São Jorge de um humilhante rebaixamento para a série A2. De acordo com o atacante, ele apenas cumpriu seu dever. “Não salvei o Corinthians. Apenas fiz meu trabalho”, disse.

Grafite não entrou no embalo da torcida, foi criticado por isso. Clêmer defendeu pênalti contra o Goiás. Apenas Felipe virou jogador-torcedor, e quando isso acontece, é ruim para o atleta, para o clube, para o campeonato e para o futebol. E o mais importante nisso tudo é recordar que A ou B não deixarão de ganhar por culpa dos rivais, mas pela incompetência própria.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Resenha – É Proibido Fumar

Resenha feita para o Curso de Jornalismo Cultural.

É Proibido fumar

É proibido fumar é uma versão menos dramática de Durval Discos, outro filme da diretora Anna Muylaert. Mais uma vez a música está explícita na obra e na vida dos personagens, Max (Paulo Miklos) e Baby (Glória Pires). São Paulo é o cenário da trama que se desenrola no apartamento de Baby, ponto central do longa, assim como a casa/loja de Durval. O gênero é comédia, mas irônica, sutil, acompanhada do drama. Na trama Baby é uma mulher solteira com quase 40 anos, que mora no apartamento herdado da mãe e ensina a alunos desinteressados como tocar violão, enquanto fuma seus cigarros constantemente. Ao conhecer Max sua vida se modifica completamente.

01 O longa foi lançado em 2009, justamente quando o governo do estado de São Paulo proibiu o fumo em ambientes fechados como bares, restaurantes e universidades. A discussão sobre o cigarro é abordada aparentemente de forma secundária, mas a objeção de Max ao fumo faz com que Baby tente mudar seus hábitos. No transcorrer do filme ela descobre o motivo de ele não quer o cigarro em seu apartamento.

A camiseta e o retrato de Chico Buarque remetem ao passado, que para ela parece não ter sido tão distante. Estagnada no tempo e fadada a ser a eterna titia, vive brigando com as irmãs por coisas sem valor como um sofá velho. Seu apartamento lembra a casa de uma idosa, cheia de plantas que, no entanto, contrastam com a fumaça despejada por seus lábios de fumante obsessiva.

Baby vê sua vida mudar quando o apartamento vizinho é alugado por um músico. Num primeiro momento ele parece interessado nela e ao mesmo tempo um malandro, afim apenas de casos esporádicos com várias mulheres. Baby se interessa por Max e começa a se cuidar, para tentar conquistá-lo vai ao cabeleireiro e à depilação. Até mesmo as roupas dela mudam com o desenrolar do relacionamento, seu estilo muda radicalmente, de dona de casa - com blusas de moletom - para uma mulher mais jovem, com camisetas curtas e shortinhos jeans. Vemos aí uma crítica de Anna ao constante ato das pessoas mudarem quem são para agradar o parceiro, com medo talvez, da solidão.

06

Ao som de Jorge Ben os dois começam a namorar, contudo Max ainda está apaixonado por sua ex-mulher Stelinha, fumante. O tom cômico e puro do filme ganha ares dramáticos a partir daí, com fatos inesperados. Assim como em Durval Discos, um fato repentino muda a história do filme. Novamente Anna revela seu gosto pelo drama e pelo imprevisto.

Os pensamentos dos personagens mudam com o desenrolar dos fatos e Baby - por mais que seja aparentemente honesta - mostra-se vulnerável, faz uma abertura na parede do apartamento para ver o quarto de Max, suspeita de suas traições. Ela ouve gritos e gemidos vindos do apartamento dele, não quer acreditar, mas desconfia do músico. Personagem discreto e essencial, o porteiro Chico até então uma pessoa honesta, vê a grande oportunidade de mudar de vida e voltar para sua terra natal ao presenciar a morte de Stelinha.

Max que num primeiro momento parecia ser do tipo golpista, mentiroso e trapaceiro mostra-se na verdade um homem que ainda amava a ex-mulher e não conseguia se desvencilhar desse amor. Após a morte de Stelinha ele se entrega ao amor de Baby, a ponto de aceitar chantagem para salvá-la.

O filme esteve entre os 24 finalistas que concorriam para decidir qual filme nacional seria indicado ao Oscar 2011, mas perdeu para o filme que conta a história de Lula. Em 2009 no Festival de Brasília ganhou em oito categorias, entre elas o de melhor filme, ator e atriz. Neste ano o longa deixou para trás Se eu fosse você 2, e ganhou o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2010 como melhor filme e outras quatro categorias.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Flu lidera, mas vantagem diminui

Acabou há pouco a trigésima terceira rodada do Brasileirão e daqui pra frente não há mais pontos a perder para quem almeja o titulo e para quem foge da série b. Faltando apenas cinco jogos para o fim do torneio, algumas coisas já podemos afirmar e dificilmente erraremos, como o evidente rebaixamento do Prudente.

BRASILEIRÃO/CORINTHIANS X AVAÍ Mas comecemos pela parte de cima da tabela, onde Fluminense, Corinthians e Cruzeiro travam um amigável e respeitoso duelo pela ponta. Sim porque a maneira como tais equipes perderam pontos é tamanha que até o Botafogo encostou, isso mesmo, o Fogão do “Papai Joel”, que já começa a provocar a arbitragem, bisonha.

Desses quatro a campanha do alvinegro carioca parece mais simples, com Avaí, Ceará e Grêmio fora, Internacional e Prudente no Engenhão. Não seria exagero calcular no mínimo dez pontos. O Cruzeiro chegou com pinta de campeão, mas logo começou a vacilar e da liderança foi parar na terceira posição. O futuro da Raposa é incerto, talvez o mais difícil. Vitória, Corinthians e Flamengo como visitante, Vasco e Palmeiras em Minas. Alguém arrisca mais de nove pontos? Eu não.

dalessandro031110alexlops Fluminense e Corinthians lideram o campeonato desde o início e alternam na liderança. Nas últimas rodadas bobearam um pouco, mas a recuperação veio a tempo. O Timão tem jogos complicados, entre eles o clássico com o São Paulo, Cruzeiro no Pacaembu e Vitória na Bahia. Nas duas partidas finais enfrenta o Vasco como mandante e o Goiás no Serra Dourada. O mínimo possível para um candidato ao título seria 11 pontos. O Tricolor de Nelson Rodrigues também tem um derby, contra o Vasco. Fora isso, Goiás e Guarani em casa, São Paulo e Palmeiras fora. No mínimo dez pontos.

Caso não alcancem tais pontos, podem perder até mesmo a vaga na Libertadores, isso porque São Paulo, Atlético PR e Grêmio chegaram e aguardam tropeços dos rivais. O time paulista pega dupla de lideres e dois desesperados. Os paranaenses pegam adversários mais fracos e podem pontuar com facilidade. Já os gaúchos precisaram suar contra Santos e Botafogo, além do confronto com o Furacão.

Na zona de rebaixamento o Prudente já fez as malas para a série b e pode cair já na próxima rodada. O Goiás namora a segunda divisão há pelo menos três anos e desta vez apresenta futebol condizente com suas aspirações. O Avaí é forte candidato depois da goleada sofrida ontem e pelo medíocre futebol dos últimos jogos. A quarta vaga é uma incógnita. O Galo segue sua saga para continuar a elite, mas a má campanha durante todo o torneio pode pesar, atualmente não merece cair. O Bugre fez um bom primeiro turno, no entanto a fase não ajuda, foram somente sete pontos em trinta e seis disputados, com direito a derrota para o Prudente. Os goianos do Atlético GO conseguiram sair da degola, mas confrontos contra Inter, Palmeiras e São Paulo podem atrapalhar. O Vitória respirou, mas uma derrota pode atrair a série b, portanto precisa vencer para não sofrer no final, mas seus rivais são mais fracos, há esperança de vermos dois baianos na primeira divisão.

Dos outros times não se pode esperar muita coisa. Santos e Inter estão apenas cumprindo tabela. Palmeiras, Vasco e Ceará são os aspones do Brasileirão. Cinco pontos separam o Flamengo da zona de rebaixamento, entretanto o clube pontuou nos últimos oito jogos, muitos empates é verdade, mas deve bastar.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

A biblioteca de Pessoa

caricatura A biblioteca de um dos maiores poetas do mundo está aberta ao público e não é necessário nem sair de casa para visitá-la. A Casa Fernando Pessoa divulgou mês passado que toda a biblioteca do escritor português foi digitalizada e está acessível no portal da instituição.

São mais de mil volumes que pertencem à biblioteca particular do poeta, entre eles traduções, comentários, anotações do autor. A biblioteca digital pode ser acessada no endereço virtual Casa Fernando Pessoa.

Abaixo poema do autor pelo heterônimo de Alberto Caeiro.figura9bpeq

O Guardador de Rebanhos

Acho tão natural que não se pense
Que me ponho a rir às vezes, sozinho,
Não sei bem de quê, mas é de qualquer cousa
Que tem que ver com haver gente que pensa ...

Que pensará o meu muro da minha sombra? 
Pergunto-me às vezes isto até dar por mim
A perguntar-me cousas…
E então desagrado-me, e incomodo-me
Como se desse por mim com um pé dormente. . .

Que pensará isto de aquilo?
Nada pensa nada.
Terá a terra consciência das pedras e plantas que tem?
Se ela a tiver, que a tenha...
Que me importa isso a mim?
Se eu pensasse nessas cousas,
Deixaria de ver as árvores e as plantas
E deixava de ver a Terra,
Para ver só os meus pensamentos ...
Entristecia e ficava às escuras.
E assim, sem pensar tenho a Terra e o Céu.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Vira a 5, acaba a 10?

psv_goleada_div_950 Parece pelada de rua, mas não é. Neste domingo PSV e Feyenoord fizeram um clássico pra lá de inusitado. Tudo corria normalmente como qualquer outro clássico até o fim da primeira etapa, quando o time de Eindhoven vencia por 2 a 0. Veio o segundo tempo e o atual líder da Eredivisie decidiu judiar dos rivais que já não ocupam uma boa posição na tabela. Foram mais oito gols para a conta do goleiro Rob van Dijk. No fim 10x0, isso mesmo, 10 a zero.

Se o resultado fosse contra o desconhecido VVV-Venlo, já seria digno de espanto, afinal, não se comemora tal feito todos os dias. Mas não, para tornar o placar ainda mais assombroso o jogo foi contra aquele que é o terceiro maior vencedor do país. O placar elástico fez o técnico Mario Been pedir demissão, não aceita pela diretoria do Feyenoord. Somente neste duelo o PSV marcou mais que o lanterna Willem II e o vice-lanterna VVV-Venlo em todos os 10 jogos disputados.

Num jogo de tantos gols, um brasileiro fez um hat-trick, ou seja, três vezes balançou as redes. Jonathan Reis é o nome dele, isso por que saiu com 25 minutos do segundo tempo. Jonathan de apenas 21 anos jogou pouco no Brasil, mais precisamente no Tupi de Minas Gerais, sua terra natal. O brasileiro marcou 6 gols em 3 partidas. Os outros foram anotados pelos holandeses Jeremain Lens – duas vezes – Ibrahim Afellay (da seleção), Orlando Engelaar, pelo sueco Ola Toivonen e pelo húngaro Balázs Dzsudzsák – duas vezes.

Mesmo com a maior goleada do torneio e o melhor ataque, o PSV não tem o artilheiro. Ele pertence ao Utrecht e se chama Ricky van Wolfswinkel, com 9 gols em 10 jogos. Mas é bom lembrar que Ricky fez metade de seus gols de pênalti.

Maiores goleadas envolvendo rivais em outros países em nacionais.*

Alemanha

Bayen Munique 11x1 Borussia Dormund -1971/72

Bayern Munique 0x7 Schalke 04 – 1976/77

Brasil

Corinthians 7x1 Santos – 2005

Botafogo 6x0 Flamengo – 1972

Vasco 7x1 São Paulo – 2001

França

Lyon 8x0 Olympique de Marseille – 1996/97

Holanda

Feyenoord 9x4 Ajax – 1964/65

Itália

Juventus 9x1 Inter – 1960/61

Juventus 1x7 Milan – 1949/50

Juventus 7x1 Roma – 1931/32

Portugal

Sporting 7x1 Benfica – 1986/87

Benfica 12x2 Porto – 1942/43

Porto 10x1 Sporting – 1935/36

*Dados da coluna Futebol em números do IG

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um pequeno passo para o homem…

ebwhite Dando continuidade aos bons textos do jornalismo, reproduzo aqui não uma reportagem, mas uma crônica do norte-americano E. B. White, jornalista da revista The New Yorker. O texto que White constrói é irônico e também sério, mostra a sua visão do fato, no caso a chegada do homem à Lua.

Enquanto todos se deliciavam com a conquista, ele de forma bem-humorada critica a atitude de fincar a bandeira dos Estados Unidos na superfície lunar.

O texto faz parte dos estudos de Jornalismo Literário, ministrado pelo jornalista Daniel Piza.

E. B. White

Tradução Daniel Piza.

Moon Landing

26/07/1969

homem-na-lua_1619_1024x768A lua, descobrimos agora, é um grande lugar para homens. Uma gravidade um sexto menor deve ser bem divertida, e quando Armstrong e Aldrin fizeram sua dancinha animada, como duas crianças felizes, foi um momento não apenas de triunfo, mas também de alegria. A lua, por outro lado, é um lugar ruim para bandeiras. A nossa parecia estática e esquisita, tentando flutuar numa brisa que não soprava. (Deve haver alguma lição nisso aqui). É tradicional, claro, que exploradores finquem uma bandeira, mas o que nos chamou a atenção, enquanto observávamos com espanto e admiração e orgulho, foi o fato de que nossos dois companheiros eram homens universais, não nacionais, e deveriam estar equipados de acordo. Como todo grande rio ou todo grande mar, a lua não pertence a ninguém e pertence a todos. Ela ainda tem a chave da loucura, ainda controla as marés que batem nas praias de todos os lugares, ainda cuida dos amantes que se beijam em todos os países debaixo do céu, não de uma bandeira. Que pena que em nosso momento de triunfo não tenhamos renegado a cena familiar de Iwo Jima e , ao contrário, plantado um instrumento aceitável a todos: um lenço branco e limpo, talvez, símbolo do resfriado comum, que assim como a lua, nos afeta a todos, nos une a todos.