sexta-feira, 26 de março de 2010

A Concacaf é do México



Não tem jeito, o futebol na América Central e do Norte se resume ao México. Além de a seleção sobrar nas Eliminatórias da Concacaf, os clubes dominam o futebol continental e provam isso na Liga dos Campeões da Concacaf mais uma vez, com o título garantido e a vaga no Mundial de Clubes.



Para se ter uma idéia desse domínio, desde 1982 os Aztecas conseguem a classificação para a Copa do Mundo (em 1990 não participou pois estava suspenso devido à falsificação da idade de um atleta juvenil). Nas últimas quatro edições a seleção passou para as oitavas de final, mas foi eliminada. Assim como aconteceu com a Austrália que para a FIFA pertence à Ásia, logo será lançada a campanha 'México nas eliminatórias sul-americanas de 2014'.



Na competição continental não teve para ninguém. Na fase de grupos todos os representantes no torneio terminaram na primeira posição. Maior vencedor da Liga dos Campeões com 5 títulos e único tricampeão consecutivo do torneio, o Cruz Azul venceu 5 jogos e empatou 1 na fase de grupos, e é o único invicto.



As campanhas foram simplesmente incontestáveis. Líder do grupo A o Pachuca atropelou seus adversários, com 5 vitórias e uma derrota. O Toluca passou pelo grupo B ao vencer 4, empatar e perder uma. No grupo D o Pumas teve campanha idêntica ao compatriota, 4 V, 1E e 1D.



Com os resultados na fase de grupos, os mexicanos não se enfrentaram nas quartas de final. Azar dos adversários que foram derrotados um a um. O Pumas passou pelo Marathón de

Honduras após uma derrota por 2 a 0 com os reservas e uma goleada de 6 a 1. Vai enfrentar na semifinal o invicto Cruz Azul que derrotou duas vezes os panamenhos do Árabe Unido (1 a 0 e 3 a 0).



Na outra semifinal o Toluca - 3º maior vencedor do campeonato mexicano - passou pelos americanos do Columbus Crew com um empate (2 a 2) e uma vitória apertada (3 a 2). Seu rival será o Pachuca, campeão em 2007 e 2008 da Liga dos Campeões que despachou o Comunicaciones da Guatemala com um empate (1 a 1) e uma vitória (2 a 1).



Desde 2006 o México conquista a Liga dos Campeões e de 2002 pra cá somente em 2004 o país não colocou um time na decisão, quando os costarriquenhos do Saprissa e Alajuelense fizeram a final. Será o 27º título da Concacaf Champions League do México, contra míseros 6 do segundo maior campeão (Costa Rica) e 3 de El Salvador, terceiro melhor.



Com esse retrospecto não é surpresa que os clubes aztecas disputem a Libertadores e Copa Sul-americana com os clubes da Conmebol, já que não há adversários no norte do continente americano. A campanha está lançada, México nas Eliminatórias Sul-americanas para a Copa de 2014.



Algumas curiosidades:

Títulos: Copa América (1999), Copa Ouro (1993, 1996, 1998, 2003 e 2009).

Melhor colocação em copas: 6º lugar em 70 e 86 quando as Copas foram no México.

Mais jogos pela seleção: Claudio Suarez (178).

Maior Artilheiro: J. Borgetti com 46 gols.

Maiores campeões: Chivas (11), América (10) e Toluca (9).

Capitão: Rafa Márquez do Barcelona.



Campeões

1962 – Guadalajara (MEX)

1963 – Racing (HAI)

1967 – Alianza (SLV)

1968 – Toluca (MEX)

1969 – Cruz Azul (MEX)

1970 – Cruz Azul (MEX)

1971 – Cruz Azul (MEX)

1972 – Olimpia (HON)

1973 – Transvaal (SUR)

1974 – Municipal (GUA)

1975 – Atlético Español (MEX)

1976 – CD Aguila (SLV)

1977 – Club América (MEX)

1978 – U. de Guadalajara (MEX), CSD Comunicaciones (GUA), Defence Force (TRI)

1979 – Deportivo FAS (SLV)

1980 – UNAM (MEX)

1981 – Transvaal (SUR)

1982 – UNAM (MEX)

1983 – Atlante (MEX)

1984 – Violette (HAI)

1985 – Defence Force (TRI)

1986 – LD Alajuelense (CRC)

1987 – Club América (MEX)

1988 – CD Olimpia (HON)

1989 – UNAM (MEX)

1990 – Club América (MEX)

1991 – Puebla (MEX)

1992 – Club América (MEX)

1993 – Deportivo Saprissa (CRC)

1994 – CS Cartaginés (CRC)

1995 – Deportivo Saprissa (CRC)

1996 – Cruz Azul (MEX)

1997 – Cruz Azul (MEX)

1998 – D.C. United (USA)

1999 – Necaxa (MEX)

2000 – Los Angeles Galaxy (USA)

2002 – CF Pachuca (MEX)

2003 – CD Toluca (MEX)

2004 - LD Alajuelense (CRC)

2005 – Deportivo Saprissa (CRC)

2006 - Club América (MEX)

2007 - Pachuca CF(MEX)

2008 - Pachuca CF(MEX)

2009 - Atlante (MEX)

segunda-feira, 22 de março de 2010

Março é o mês do Saint Patrick's Day

Semana passada, mais precisamente no dia 17 comemorou-se o dia de São Patrício, ou o Saint Patrick's Day. Não, não irei falar sobre santos ou sobre religião. O assunto deste post é outro. A cerveja.

Mas primeiro devo explicar essa ligação entre São Patrício e a cerveja. O santo Bretão é o padroeiro da Irlanda, um dos maiores consumidores de cerveja do mundo. Sua história diz que ainda jovem foi sequestrado e vendido como escravo e foi para a Irlanda. Depois de anos tosando ovelhas ele teria recebido uma mensagem de Deus, para que fugisse. Assim o fez. Começou a vida religiosa e retornou ao país da bretanha para converter o povo ao Cristianismo. São Patrício usava o trevo de três folhas para explicar a Tríplice Trindade.

O trevo virou símbolo da Irlanda e de São Patrício. Para comemorar a vida deste bretão, em 1903, a data de 17 de março tornou-se feriado no país. Por lá eles se vestem de verde e alguns vão à missa, outros lotam os pubs.

Mas quem perdeu a data ainda pode comemorar. Uma promoção da cerveja irlandesa Guinness atrai os cervejeiros para uma nova peregrinação, desta vez de cerveja. Durante o mês de março, de bar em bar os clientes juntam selos ao pedir a Guinness, e depois trocam por um brinde.

Na sexta-feira pude conferir no Frangó (boteco paulistano com uma das mais amplas cartas de cerveja do país) a peregrinação dos boêmios. Não fui de Guinness, mas degustei da boa Irish Beer, com a Kilkenny, do tipo Red Ale. Ela é a Red Ale mais antiga da Irlanda e é produzida na St. Francis Abbey, fundada em 1710. Seu nome vem da cidade homônima, na província de Leinster.

A Irlanda exporta metade da sua produção de cerveja, a outra metade é consumida principalmente nos pubs da cidade e vendida na forma de chope. Os pubs misturam a música tradicional irlandesa com folclore. No total são mais de 10 mil pubs espalhados pelo país.

São Paulo abriga a maioria dos bares participantes da promoção da Guinness. Entre eles estão The Blue Pub, The Joy, St. James, Beifiore, Frangó, Liverpool, Drakes, Dublin, Rhino Pub, Kiaora, All Black e O'Malleys. No entanto os sulistas podem participar no Hooligan (PR), Sheridans Pub (PR), Slainte (PR) e Dublin (RS).
Como podemos observar, um dos maiores especialistas em cerveja do mundo também festeja o Saint Patrick's Day.

sexta-feira, 19 de março de 2010

Brasil pode ter goleiros 'estrangeiros' na Copa



Pela primeira vez a seleção brasileira pode ter seus três goleiros convocados para a Copa do Mundo atuando fora do país. A possibilidade de isso acontecer é grande, já que até o momento somente quatro goleiros jogaram na seleção de Dunga.



Quem mais jogou foi o titular Julio César, seguido por Doni, Helton e Gomes. Estes últimos jogaram nos primeiros amistosos da era Dunga de técnico. Os jovens Renan atualmente no Xerez, Diego Alves do Almería e Victor do Grêmio foram convocados mas não atuaram.



A história das convocações coloca Diego Alves, Victor ou Renan com chances de ir à Copa por serem jovens goleiros. Como aconteceu com o titular Julio Cesar, que em 2006 na Alemanha foi para ganhar experiência. Não jogou, mas esteve com o grupo.



Em 1994 Taffarel quebrou a escrita e foi o primeiro goleiro a ir a Copa do Mundo atuando longe do país. Na época ele jogava pelo desconhecido Reggiana da Itália.



É interessante notar que é comum um goleiro ir a mais de uma Copa. Deve ocorrer com Julio Cesar o mesmo que aconteceu com Dida, Rogério Ceni, Taffarel, Leão, Carlos, Valdir Peres, Gilmar e Castillo.



Confira a lista dos goleiros brasileiros em Copas.

2006 Dida (Milan), Rogério Ceni (São Paulo) e Julio César (Internazionale)

2002 Marcos (Palmeiras), Dida (Corinthians) e Rogério Ceni (São Paulo)

1998 Taffarel(Atlético MG), Germano (Vasco) e Dida (Cruzeiro)

1994 Zetti(São Paulo), Taffarel (Reggiana) e Gilmar (Flamengo)

1990 Taffarel (Internacional), Acácio (Vasco) e Zé Carlos (Flamengo)

1986 Carlos (Corinthians), Paulo Victor (Fluminense) e Leão (Pameiras)

1982 Valdir Peres (São Paulo), Paulo Sérgio (Botafogo) e Carlos (Ponte Preta)

1978 Leão (Palmeiras), Carlos (Ponte Preta) e Valdir Peres (São Paulo)

1974 Leão (Palmeiras), Renato (Flamengo) e Valdir Peres (São Paulo)

1970 Leão (Palmeiras), Felix (Fluminense) e Ado (Corinthians)

1966 Gilmar (Santos) e Manga (Botafogo)

1962 Gilmar (Santos) e Castillo

1958 Gilmar (Corinthians) e Castillo (Fluminense)

1954 Castillo e Veludo (Fluminense) e Cabeção

1950 Castillo (Fluminense) e Barbosa (Vasco)

1938 Valter e Batatais

1934 Pedrosa e Germano

1930 Velloso e Joel





segunda-feira, 15 de março de 2010

Terremotos e escala Richter

Na madrugada do dia 27 de fevereiro um forte terremoto de magnitude 8,8 atingiu o Chile perto da cidade de Concepcion, a 400 km da capital Santiago e provocou a morte de centenas de pessoas, além de deixar outros tantos feridos e 2 milhões de desabrigados.

No Chile aliás foi onde ocorreu o mais forte tremor registrado na História em 1960. Na ocasião o tremor atingiu a cidade de Valdívia e matou mais de 5.700 pessoas. A catástrofe registrou a marca de 9,5 graus na escala Richter.

Mas afinal como é feita a medição, qual a origem deste nome?

A escala Richter mede a quantidade de energia liberada no hipocentro durante um sismo. Os sismos são vibrações resultantes de movimentos subterrâneos de placas tectônicas na crosta da Terra.

Os sismólogos Charles Francis Richter e Beno Gutenberg criaram um sistema para calcular as magnitudes de ondas sísmicas na Califórnia em 1935. Ou seja, uma forma de medir a intensidade de tremores. A medição é feita com aparelhos que medem a vibração dos terremotos, os sismogramas.

Cada unidade da escala representa um valor de energia liberado dez vezes maior que a anterior. Tremores abaixo de 2 graus são considerados imperceptíveis. O terremoto de 7 graus é dez vezes mais forte que o de 6 graus por exemplo, e não existe um limite certo para a potência de um terremoto. A maior já registrada foi de 9,5 graus.

Quais as principais placas tectônicas?

Placa Africana
Placa da Antártida
Placa Arábica
Placa Australiana
Placa das Caraíbas
Placa de Cocos
Placa Euroasiática
Placa das Filipinas
Placa Indiana
Placa Juan de Fuca
Placa de Nazca
Placa Norte-Americana
Placa do Pacífico
Placa de Scotia
Placa Sul-Americana

Quais os maiores terremotos?

1960 Chile 9,5 graus
1964 Alasca 9,2
2004 Indonésia 9,1
1952 Rússia 9,0
2010 Chile 8,8
1906 Equador 8,8

Quais os que provocaram mais mortes?

1556 China 830 mil mortes
1737 Índia 300 mil mortes
1976 China 250 mil mortes
2010 Haiti 230 mil mortes
1920 China 200 mil mortes

domingo, 14 de março de 2010

Conheça a Copa de transferências

Faltam 88 dias para o começo da Copa do Mundo 2010 na África do Sul e os nomes dos 23 jogadores que serão convocados por Dunga ainda não estão certos, pelo menos alguns. A base que o técnico montou conta com Julio César, Maicon, Daniel Alves, Juan, Lúcio, Gilberto Silva, Felipe Mello, Elano, Josué, Kaká, Luis Fabiano e Robinho. Nesta semana foi anunciado que a lista dos atletas convocados terá 30 nomes, sete serão excluídos.

Desses 30 nomes dificilmente passará de seis os jogadores que atuam no Brasil. Robinho e Adriano são os que possuem mais chances de ir à África do Sul. Entretanto, o volante Kléberson, o lateral Gilberto, o goleiro Victor e o zagueiro Miranda ainda sonham com uma vaga.

O sonho deles é o pesadelo de seus torcedores, isso por que a história mostra que após a Copa a tendência é que seus craques sejam negociados. Nas últimas três edições do Mundial (1998, 2002 e 2006) 17 jogadores que foram à Copa trocaram de clube. Destes 17 atletas, 11 atuavam no Brasil. Ou seja, 64 % do total de transferências.

A situação poderá ser ainda pior caso o time de Dunga conquiste o Hexacampeonato. Em 2002 a família Scolari trouxe a taça e sete jogadores mudaram de ares. Cinco dos sete jogadores atuavam no Brasil.

Se tomarmos como referência esses dados, temos a certeza de que após o Mundial da África ocorrerão mudanças para os selecionáveis que atuam no Brasil. Uma já está certa. Caso não aconteça nada de anormal, Robinho volta ao Manchester City. Outros que tem mercado na Europa são Adriano, Victor e Miranda.

Já o pentacampeão Kléberson e o (lateral/ala/meia) Gilberto mesmo que conquistem o título com a família Dunga, devem permanecer em terras tupiniquins.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Por onde anda...Johnny Herrera


Estava assistindo ao clássico chileno Universitário e lembrei-me do ex-goleiro do Univ. de Chile e do Corinthians, Johnny Herrera. O Superboy, alcunha recebida em seu país e que pegou por aqui, chegou com fama de bom goleiro, mas sua passagem pelo Brasil foi rápida. De volta ao Chile, Herrera chegou a ser preso no fim de 2009 e defende o Audax Italiano.

Johnny Cristian Herrera Muñoz nasceu em maio de 1981 e começou a carreira no Univ. de Chile em 1999. No ano seguinte o goleiro de 1,83 cm disputou as Olimpíadas de Sidney e depois de seis anos foi negociado, em seu país conquistou três vezes o título nacional, em 1999, 2000 e 2004.

No início de 2006 foi contratado pelo Corinthians, coma parceira MSI para a disputa da Libertadores. No entanto a disputa com Marcelo e Silvio Luis pela titularidade e a fraca campanha do time na competição sulamericana, fez com que ele deixasse o clube com uma passagem apenas discreta.


Em 2007 retornou ao país natal para defender o Everton, pelos Ruteleros o goleiro conquistou mais uma vez o título nacional, o Apertura 2008. A boa fase rendeu a transferência para o Audax Italiano da capital Santiago.

Titular dos Itálicos desde que chegou, o camisa 7 (!) se envolveu em uma grande confusão no fim de 2009. Na madrugada de 20 de dezembro o goleiro foi preso por atropelar uma mulher de 22 anos, que morreu no local do acidente, nas ruas do bairro de La Reina, na capital. A polícia investiga se o jogador estava embriagado e acima da velocidade.

O Audax Italiano é o sétimo colocado no Apertura 2010, sua última partida foi contra o Colo-Colo na derrota por 3 a 2. Na próxima rodada o clube enfrenta o Huachipato.

terça-feira, 9 de março de 2010

Cuidado, bêbados na pista

Em Janeiro do ano passado mostrei aqui uma brincadeira de hackers americanos da cidade de Austin no Texas, que invadiram um painel de trânsito e alertavam os motoristas para a presença de zumbis na pista.

Pois é, desta vez outra notícia chama a atenção. O prefeito da cidade de Pecica na Romênia chamou a atenção de motoristas e do mundo ao colocar uma placa na alertando para bêbados na pista (!). Isso mesmo, bêbados na pista. De acordo com o prefeito Petru Antal, a medida é para evitar mais acidentes e a culpa não é dos motoristas, mas sim dos embriagados pedestres.

Abaixo a bizarra foto da placa, um pedestre engatinhando com uma garrafa na mão.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Guia Libertadores 2010

De camarote, é assim que os mexicanos do Chivas e San Luis já classificados para as oitavas de final da Libertadores 2010 acompanham o torneio. Eles estão mais preocupados no momento com o campeonato mexicano, já que ambos já estão classificados para a próxima fase do torneio sul-americano devido a um imbróglio durante a Libertadores 2009 entre a Conmebol e a Federação Mexicana que eliminou os dois clubes, por causa do surto de gripe suína.

O Chivas certamente deve dar muito trabalho na competição, caso não priorize outros torneios, como normalmente não o faz. O time lidera o campeonato mexicano com 100% de aproveitamento, foram 8 vitórias e 19 gols. No mesmo grupo do Chivas, o San Luis aparece na modesta quinta posição (são 6 clubes por grupo, na classificação geral está em 13º, de um total de 18). A fraca campanha e a péssima atuação da defesa podem fazer com que o clube fique mesmo longe de títulos na temporada.

Chivas
Fundação: 1906
Participações: 5
Melhor participação: semifinal em 2005 e 2006
Destaque: Javier Hernández
Apelido: Rebaño
Principais títulos: 1 Liga dos Campeões da Concacaf, 11 mexicanos, 2 copas do 1 InterLiga
Site: www.chivascampeon.com
Como se classificou: convidado pela Conmebol

San Luis
Fundação: 23/09/1957
Participações: 2 (a primeira foi ano passado)
Melhor participação: Oitavas de final em 2009
Destaque: Braulio Luna
Apelido: Gladiadores e Tuneros
Principais títulos:
Site: www.sanluisfutbol.com.mx
Como se classificou: convidado pela Conmebol

segunda-feira, 1 de março de 2010

Guia da Libertadores - Grupo 8


Grupo 8

O campeão brasileiro de 2009 Flamengo volta a Libertadores com um ataque de nome, Adriano e Vagner Love, além de Petkovic e Kleberson. A vaga no grupo 8 só escapa por uma zebra enorme.

Os dois chilenos do grupo são os que podem dificultar um pouco, mas nada que preocupe. Preocupação mesmo terá o torcedor chileno, no chamado Clássico Universitário. O Universidad de Chile possui quatro jogadores que passaram pela seleção (Marco Estrada, Manuel Iturra, Edson Punch e Eduardo Vargas). Já o seu rival Universidad Católica é considerado pela imprensa chilena o que tem menores chances de surpreender, o destaque é o argentino Damian Diaz, ex Boca. Da Venezuela o Caracas disputa sua 12ª Libertadores e sonha com a repetição de 2009, quando chegou às quartas de final.

Flamengo
Fundação: 17/11/1895
Participações: 11
Melhor participação: Campeão em 1981
Destaque: Adriano
Apelido: Mengo
Principais títulos: 1 mundial, 1 Libertadores, 6 Brasileiros e 2 Copas do Brasil
Site: www.flamengo.com.br
Como se classificou: Campeão Brasileiro 2009

Universidad de Chile
Fundação: 24/05/1927
Participações: 16
Melhor participação: Semifinalista em 1970 e 1996
Destaque: Vargas
Apelido: La U
Principais títulos: 12 chilenos
Site: www.udechile.cl
Como se classificou: Campeão do Apertura 2009

Universidad Católica
Fundação: 21/04/1937
Participações: 22
Melhor participação: Vice em 1993
Destaque: Damian Diaz
Apelido: Católica e Cruzados
Principais títulos: 9 chilenos
Site: www.lacatolica.cl
Como se classificou: Melhor pontuação do Clausura 2009

Caracas
Fundação: 03/10/1989
Participações: 12
Melhor participação: Quartas de final em 2009
Destaque: José Manuel Rey
Apelido: Los Rojos del Ávila
Principais títulos: 10 venezuelanos e 3 Copas da Venezuela
Site: www.caracasfutbolclub.com
Como se classificou: Campeão do Clausura 2009