quarta-feira, 12 de maio de 2010

Alegria, atrevimento e coragem

934509_w2Essas são as três qualidades que o treinador Quique Sánchez Flores espera de sua equipe para a partida decisiva de amanhã em Hamburgo, na Alemanha. 

O treinador que chegou este ano a Madrid para treinar o Atlético tenta conquistar o seu título mais importante de sua breve carreira de comandante. Tudo começou no Getafe, depois Valência e Benfica.

A campanha do Atlético começou com a eliminação na Champions League. O terceiro lugar na fase de grupos resultou na classificação para a UEFA Europa League. Em Madrid, no estádio Vicent Calderón os Rojiblancos apenas empatarm com o Galatasaray por 1 a 1. Em Istambul, a vitória por 2 a 1 garantiu a classificação.

Nas oitavas de final um adversário difícil e conhecido de Flores. O Sporting. Mais uma vez o clube madrilenho decepcionou em casa, empate sem gols. A vaga veio com o empate com gols em Lisboa, 2 a 2.

Quis o destino que dois espanhóis se enfrentassem na fase seguinte. Em Valência o time da casa bem que tentou acabar com a série de bons resultados do rival, mas apenas empatou, 2 a 2. Em Madrid mais um jogo do Atletico sem vencer, mas outro empate sem gols garantiu a vaga. 50124

Na semifinal os Rojiblancos tinham pela frente o gigante Liverpool e finalmente conseguiram vencer uma partida no Vicent Calderón, 1 a 0 com gol de Forlán. Na Inglaterra veio a única derrota na liga. Mas o 2 a 1 contra deu a classificação, outra vez pelo gol marcado fora e de novo Forlán. 1487172_w2

Os destaques do time de Madrid são os espanhóis Antonio Lopez, Raul Garcia e Antonio Reyes, os lusos Tiago e Simão e os sul-americanos Kun Aguero e Diego Forlán.

O primo pobre de Londres

Considerar o Fulham a grande surpresa da Europa League não é nenhum exagero. Isso porque os Cottagers nunca venceram sequer o campeonato Inglês em 131 anos de história. E mais na atual Premier League o clube terminou apenas na décima segunda colocação com mais derrotas do que vitórias.

Mas na competição continental a história é outra. Diferente do rival de hoje, o Fulham começou na fase pré-eliminatória, contra o desconhecido Vètra da Lituânia. Foram duas vitórias por 3 a 0 e a vaga nos play-offs contra outra incógnita, o Amkar Perm da Rússia. Dessa vez o time londrino teve que suar um pouco a camisa. Vitória em casa por 3 a 1 e derrota por 1 a 0 em Perm.

Na fase de grupos 3 vitórias, 2 empates e uma derrota para a líder Roma, na Itália. Jogando no Craven Cottage o clube derrotou o Basel da Suiça por 1 a 0, e pelo mesmo placar venceu o CSKA Sofia da Bulgária, além do empate em 1 a 1 com a Roma.

O segundo lugar levou o clube a fase seguinte e ao confronto com o ucrâniano Shaktar Donetski. A vitória em Londres por 2 a 1 deu a vantagem do empate ao Fulham. E assim aconteceu, 1 a 1 e a vaga nas oitavas.1487153_w2

Veio então o maior desafio do s ingleses. A favorita Juventus. Em Turim veio o baque. No primeiro tempo 3 gols e a derrota por 3 a 1. Reverter o placar contra a forte equipe de Turim era improvável. Imporvável sim, mas não impossível. Em um jogo espetacular os Cottagers viraram a partida que perdiam por 1 a 0 para 4 a 1, com gol aos 82’.

A classificação deu moral ao time e a empolgação contagiou os ingleses que em Londres passaram pelo Wolfsburg por 2 a 1. Na Alemanha outra vitória, 1 a 0, com gol de Zamora no primeiro minuto.

Na semifinal o duelo seria com outro alemão, o Hamburgo que tinha a chance de fazer a final em casa. Mas os germânicos não passaram. No Hambrug-Arena um empate sem gols e a vitória por 2 a 1 em Craven Cottage deu a vaga na decisão aos ingleses.

Os destaques do time treinado por Roy Hodgson são Damien Duff, Zoltán Gera, Danny Murphy e Bobby Zamora.

Provável escalação.

Atletico: De Gea, Ujfalusi, Peréa, Domínguez e Antonio López; Paulo Assunção, Raúl García, Reyes e Simão Sabrosa; Forlán e Agüero.

Fulham: Schwarzer, Pantsil, Hughes, Hangeland e Konchesky; Murphy, Etuhu, Simon Davies e Duff; Gera e Zamora.

Árbitro: Nicolla Rizzoli (ITA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário