sexta-feira, 9 de julho de 2010

A Fúria não decepciona mais

A fama de amarelar na hora decisiva ficou para trás, depois de vencer a Euro 2008 contra a Alemanha a Fúria chega pela primeira vez a final do mundial. Pela nona vez consecutiva presente na Copa, a Espanha é favorita na final contra a Holanda.

Este é o décimo terceiro mundial da Fúria – se eu fosse Zagallo diria que ESPANHA CAMPEÃ tem 13 letras – e esta já é a melhor campanha dos espanhóis que disputam a Copa desde 1934. Até então o mundial de 1950 no Brasil tinha sido o melhor dos atuais campeões europeus.

A Copa de 1950

Espanha - Copa do Mundo (50) x Brasil Naquele ano a Fúria chegou ao Brasil após passar por Portugal nas eliminatórias. O grupo tinha Eua, Inglaterra e Chile. A estreia com vitória por 3 a 1 sobre os americanos deu tranquilidade para a seleção passar pelo Chile por 2 a 0 e posteriormente pelos ingleses 1 a 0.

Na fase final os primeiros colocados de cada grupo jogavam para decidir o campeão. Brasil, Suécia, Espanha e Uruguai disputavam a taça. Na estreia a Fúria empatou com os uruguaios em 2 a 2. Esse seria o melhor resultado na fase final, pois as derrotas por 6 a 1 para o Brasil e 3 a 1 para a Suécia determinaram o último lugar no grupo e o quarto posto no mundial.

Os destaques espanhóis foram Basora que marcou 5 gols, Zarra com 4 gols e o defensor Parra que foi o único escolhido para a seleção da Fifa da Copa.

A decepção de 1998

luis_enrique_espanha_italia_copa_9411 A Copa da França era esperada pelos espanhóis que tinham um bom time formado por Zubizarreta, Ferrer, Nadal, Sergi, Hierro, Raul, Luis Henrique, Amor e Morientes que havia perdido apenas uma partida desde a Copa de 1994. A ausência de Guardiola perocupava, mas Hierro, Raul e Luis Henrique davam esperança.

A campanha foi pífia, a pior da história. Estreia com derrota por 3 a 2 para a Nigéria em Nantes com falha de Zubizarreta. O empate sem gols com o Paraguai amaçou a classificação. Na última rodada a Espanha precisava vencer a Bulgária e torcer para que os paraguaios não vencessem a Nigéria. Morientes, Kiko, Luis Henrique e Hierro bem que tentaram ajudar e marcaram na goleada por 6 a 1 contra os búlgaros, – a maior da Copa - no entanto a vitória paraguaia por 3 a 1 eliminou a Fúria.

Os recordes da Espanha 2010

1267474_full-lnd O começo da Copa preocupou os espanhóis, derrota para a Suiça na estreia. Mas o time engrenou e Villa fez a diferença para a Fúria. Vitórias contra Honduras, Chile, Portugal, Paraguai e Alemanha.

Villa aliás, tornou-se o maior goleador espanhol em Copas ao marcar 5 gols na Copa. Com os três gols de 2006 ele alcançou 8 e passou outros cinco atletas que marcaram cinco gols. Na final de domingo Casillas pode atingir outro recorde, igualar a marca de Zubizarreta que disputou 16 partidas em 4 Copas. O arqueiro do Real já tem 15 jogos em sua terceira Copa e apenas um desastre tira essa marca de suas mãos. 

2 comentários:

  1. Fala Meu caro

    Pode se dizer que essa final é a mais diferente de todas. Sempre nas decisões de Copa do Mundo teve uma dessas seleções: Argentina, Alemanha, Itália e Brasil... Desta vez, as coisas mudaram bastante e um campeão inédito será definido... Se fosse apostar minhas fichas seria na Fúria!

    Abs

    ResponderExcluir
  2. Ei sincero, apesar de você querer que a Holanda vencesse, o título desse post já afirmava "A Fúria não decepciona mais"... Não teve jeito, a Espanha venceu. Não queria ver a Laranja Mecânica vice de novo, mas a Fúria estava com um futebol bem mais envolvente, toque de bola refinado, foi o que achei!

    Aliás, ATUALIZA cara!! Vamo q Vamo

    Abs

    ResponderExcluir