quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Reformulada, Copa Sul-Americana busca consolidação

215193 A nona edição da Copa Nissan Sul-Americana começou com modificações no regulamento para que os clubes dessem maior importância ao torneio. Desta vez o vencedor classifica-se automaticamante para a Libertadores do ano seguinte, além do prêmio em dinheiro. Tais alterações tem objetivos bem nítidos, a consolidação do torneio.

No entanto os grandes clubes do futebol nacional estão encontrando dificuldades nesta primeira fase da Copa. É bom lembrar que na primeira fase os brasileiros classificados (Palmeiras, Avaí, Atlético MG, Grêmio, Goiás, Prudente, Santos e Vitória) jogam entre si em jogos de ida e volta. Os brasileiros se classificam com  base no Brasileirão, do quinto ao décimo segundo colocado.

2 Outro fato interessante é a mudança na classificação dos clubes argentinos. Boca – maior vencedor com dois títulos e clube com mais jogos, 32 no total - e River eram convidados para participar do torneio até o ano passado, mas agora os seis clubes que pontuarem mais na temporada se classificam. Este ano os dois grandes estão fora. Se classificaram Banfield, Argentinos Juniors, Estudiantes, Newell’s, Independiente e Vélez.

Desta forma, seria natural que os grandes clubes que disputam a Copa Sul-Americana investissem no torneio para conseguir uma vaga na Libertadores. Seria. Mas com a conquista da Copa do Brasil, o Santos poupa atletas e apesar do discurso de tentar um novo troféu, não demonstra muito interesse. Hoje no Pacaembu perdeu para os catarinenses por 3 a 1.

O Galo vai mal das pernas é verdade e até por isso é difícil apostar que o clube não queira vencer o torneio, única chance de sucesso na temporada. O Grêmio também não vai bem no nacional, mas é só que lhe resta. Hoje os gaúchos perderam para o Goiás – com erro gravíssimo de Paulo César de Oliveira e seu bandeira – e deram adeus ao campeonato. O Palmeiras de Felipão foi à Bahia e perdeu por 2 a 0 para o Vitória. Virar em São Paulo será complicado, pois um gol dos baianos complica a classificação.

A partir da próxima fase os brasileiros começam a enfrentar times estrangeiros, entretanto por enquanto não devem ter grandes dificuldades pelo caminho. O vencedor de Avaí ou Santos enfrenta quem passar de Univ. San Martin do Peru e Emelec do Equador. O Atlético MG pega o vencedor de Caraca-VEN e Dep. Lara-VEN/Santa Fé-COL. Quem passar do duelo Vitória ou Palmeiras terá jogos mais difíceis, pois pode enfrentar Cerro Porteño do Paraguai ou U. Sucre-BOL e Colo-Colo-CHI. O classificado Goiás espera pelo vencedor de Peñarol do Uruguai e Univ. César Vallejo-PER ou Barcelona-EQU.

História

Criada em 2002 a Copa Sul-Americana substituiu a Copa Mercosul, antiga Copa Conmebol e é o segundo torneio mais importante entre clubes do continente, atrás da Libertadores. Na primeira edição os clubes brasileiros não participaram devido as datas incompatíveis.7xvmo0y

Apesar do nome, clubes da América do Norte também já participaram do torneio. Estados Unidos, Costa Rica, Honduras e México já mandaram representantes. Este último aliás já teve um clube campeão, o Pachuca em 2006.

1 O Internacional foi o primeiro clube brasileiro a vencer a Copa Sul-Americana. O trunfo veio de forma invicta - fato inédito - em 2008, na final contra o Estudiantes da Argentina. Em 2009 o Fluminense chegou perto, mas viu a LDU do Equador comemorar no Maracanã.

Com a conquista equatoriana cinco países já levaram o caneco, sendo a Argentina a maior vencedora com 4 títulos (2 Boca, 1 San Lorenzo e 1 Arsenal). Os outros todos possuem um título cada, Cienciano do Peru, Pachuca do México, Inter do Brasil e LDU do Equador. Colômbia, Bolívia e Chile tiveraimagesm a oportunidade em 2002, 2004 e 2006 respectivamente com Atlético Nacional, Bolívar e Colo-Colo.

Atualmente no Zaragoza, o chileno Humberto Suazo, el pelado goleador, atingiu a marca de 10 gols em 2006 e tornou-se o artilheiro que mais marcou. A grande campanha ajudou o clube a chegar na segunda posição.

60f1 Em 2002 a competição teve três artilheiros, entre eles está um africano. Isso mesmo, um africano. Trata-se do atacante Pierre Webó, atualmente no Mallorca. Na época ele jogava pelo Nacional do Uruguai. Os outros artilheiros foram Rodrigo Astudillo do San Lorenzo e Gonzalo Galindo do Bolívar.

Os campeões

2002  San Lorenzo
2003  Cienciano
2004  Boca Juniors
2005  Boca Juniors
2006  Pachuca
2007  Arsenal (Sarandí)
2008  Internacional (Porto Alegre)
2009  LDU (Quito)

Os artilheiros

2002 - 4 gols - Rodrigo Astudillo (San Lorenzo), Gonzalo Galindo (Bolívar) e Pierre Webo (Nacional)
2003 - 6 gols - Germán Carty (Cienciano)
2004 - 5 gols - Horacio Chiorazzo (Bolívar)
2005 - 7 gols - Bruno Marioni (Pumas UNAM)
2006 - 10 gols - Humberto Suazo (Colo-Colo)
2007 - 6 gols - Ricardo Ciciliano (Millonarios)
2008 - 5 gols - Alex e Brasil Nilmar (Internacional)
2009 - 8 gols - Claudio Bieler (LDU Quito)

Nenhum comentário:

Postar um comentário