sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Duas equipes de duas caras

Uma final de duas equipes que passam por momentos antagônicos nos torneios que disputam. É assim que Goiás e Independiente decidiram o título da Copa Sul-Americana 2010. Já rebaixado no Brasileiro, o clube esmeraldino joga tudo na competição que pode render dinheiro e vaga na Libertadores. O Rey de Copas chega outra vez a final de uma competição internacional enquanto isso no Apertura o clube é apenas o décimo sétimo, três pontos a frente do lanterna.

A campanha no nacional deixa o torcedor goiano triste, mas a possibilidade de disputar a Libertadores anima e acalenta. A chance de glória é real, basta analisar os adversários que o clube eliminou no torneio. Na primeira fase o poderoso Grêmio ficou pelo caminho, depois o gigante uruguaio Peñarol, a seguir uma classificação suada contra o Avaí e por fim a surpresa diante do Palmeiras. Acreditar é possível.

O Independiente faz pífia campanha no Apertura e só não corre riscos de rebaixamento devido ao regulamento que rebaixa os times de piores campanhas nos últimos três anos. A última grande conquista do Rey de Copas foi o Apertura de 2002, quando perdeu apenas duas partidas e levou o título vencendo o San Lorenzo na última rodada. Naquela época faziam parte do elenco nomes como Gabriel Milito – hoje no Barcelona, Guiñazu – conhecido dos colorados e Federico Insúa, ex-Boca.

A disputa está aberta e a tradição dos argentinos é a única vantagem revelante no confronto, mas vale lembrar que tradição não ganha jogo, Grêmio, Peñarol e Palmeiras são exemplos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário