quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

A Rede Social - Resenha

220px-The_Social_Network_pôster Por tudo que foi dito e pelo que realmente é, seria um exagero dizer que é uma perda de tempo assistir ao filme A Rede Social? Sim, seria. Mas também seria um abuso imaginar que é um baita filme, como o trailer nos faz crer e a crítica também. A verdade é que a história aguça a curiosidade de quase todos, a vontade de saber como o jovem Mark Zuckerberg tornou-se tão rico. O filme é baseado no livro Bilionários por Acaso, de Ben Mezrich, que por sua vez baseia-se na versão de Eduardo Saverin.

Por mais que o filme seja longo e não tenha tanta história para isso, se tornando um pouco cansativo, a ótima atuação de Jesse Eisenberg (do filme Zumbilândia, 2009) no papel de Mark Zuckerberg, a genialidade e o mau-caráter do fundador do Facebook merecem uma ponderação sobre a conduta do jovem.

A maneira como Mark trata as pessoas que são próximas a ele é indigna de uma mente brilhante, é na verdade vergonhosa. Em certo ponto da trama Eduardo Saverin (brasileiro, estudante de Harvard, co-fundador da rede social e amigo enganado por Mark) diz que Mark perdeu o único amigo verdadeiro que tinha. Isso porque Mark traiu seu sócio e o deixou sem praticamente nada. Tudo isso por ambição? Segundo o filme não é bem assim. Na obra a maior intenção de Mark é chamar a atenção da ex-namorada, mesmo que para isso tenha que trair amigos e ser um perfeito babaca.

timecapamarkzuckerberg Além de Zuckerberg e Eduardo, outros personagens são importantes na trama, como os irmãos Winklevoss, que foram trapaceados por Mark. A idéia da criação do Facebook seria originalmente deles. Outra figura essencial é Sean Parker (interpretado por Justin Timberlake), criador do Napster – um dos pioneiros em sites de compartilhamento de músicas. Parker torna-se amigo de Zuckerberg e aconselha o jovem nerd a fazer transações e ao mesmo tempo cria um conflito com Eduardo.

Aspectos do cotidiano das pessoas que usam as redes sociais são retratados e a maneira como ficamos obcecados com as redes de relacionamento é alvo de crítica e até humor, como na cena em que a namorada de Eduardo entra no apartamento dele e diz com raiva “por que você colocou que é solteiro no seu perfil?”. O episódio mostra a importância de divulgar sua vida para os outros por meio das redes de relacionamento. Seria uma ausência de privacidade necessária ou apenas exibicionista?

Nenhum comentário:

Postar um comentário