domingo, 9 de janeiro de 2011

Corações Sujos - Resenha

corações sujos Fernando Morais dispensa apresentação e seus trabalhos em A Ilha, Olga e Chatô, o Rei do Brasil mostram toda a pesquisa e o minucioso trabalho de reportagem e apuração do jornalista, natural de Minas Gerais. Ontem terminei de ler outra obra de puro jornalismo investigativo – por mais que pareça redundante dizer isto – e que conta uma parte negra na história da imigração japonesa no Brasil.

Corações Sujos, 2000, Companhia das Letras, conta a história da Shindo Renmei - um grupo de japoneses radicados no país em plena Segunda Guerra mundial que não acreditava na derrota do Japão – e sua vontade de vingança contra os chamados makegumi (derrotistas).

A partir de 1942 a população nipônica sofria com as restrições impostas pelo Brasil que declarara guerra ao Japão. A comunidade sofria com as regras de ter os bens confiscados, não conversar em língua estrangeira entre outras proibições.

O interior paulista e a capital são os principais focos de atuação dessa organização secreta japonesa, a Shindo Renmei, ou Liga do Caminho dos Súditos. Eles não acreditavam na derrota do país na guerra, como poderiam crer? Já que em 2600 anos o Japão jamais perdera. Acreditavam que as notícias eram fraudulentas e os japoneses que acreditassem nisso seriam mortos. Apoiada por 80% da comunidade japonesa a vingança seria sangrenta.

Diante desse conflito chama a atenção como o governo paulista tratou o caso. O descaso com a situação no interior de São Paulo, principalmente Tupã, Bastos e Osvaldo Cruz, foi criminoso.

A primeira tentativa de conter os kachigumi (vitoristas) aconteceu no DOPS (Departamento de Ordem Política e Social) pelo interventor Macedo Soares, no entanto a reunião com os membros da Shindo Renmei não saiu como esperada e os fanáticos da seita fizeram imposições ao governo, inclusive pediram censura à imprensa.

Após sucessivos ataques, a Assembléia Nacional Constituinte decidiu abrir votação para tratar da questão imigratória. A emenda 3165 tentava resolver o ‘problema japonês’.

É proibida a entrada no país de imigrantes japoneses de qualquer idade e de qualquer procedência.

Imagine você caro leitor, o Brasil esteve prestes a banir os japoneses do país. Assim como os nazistas tinham feito anos antes. Ironicamente é aqui que vive a maior população japonesa fora do Japão, são cerca de 1,5 milhão de nikkeis.

f morais A decisão foi acirrada e terminou empatada 99 a 99, sendo decidida pelo senador Fernando Melo Viana. Da discussão participaram nomes importantes como Luis Carlos Prestes e Gilberto Freyre. Melo Viana decidiu pelo veto a emenda. Já nessa época os simpatizantes da Shindo Renmei estavam quase todos presos.

O livro é essa aula de história de parte da imigração japonesa, do interior paulista e de um dos muitos episódios de conflitos que ocorreram no Brasil. E o melhor é ter essa história contada por gente que saber contar, descrever e tornar este capítulo triste uma leitura gostosa e instigante, com mais de 80 entrevistas no período de apuração dos fatos. Não é à toa que Corações Sujos levou o Prêmio Jabuti de livro do ano de não ficção de 2001. Mais um para a coleção do premiado Fernando Morais.

Está previsto para este ano o lançamento de um filme sobre o livro, com o mesmo nome.

Nenhum comentário:

Postar um comentário