domingo, 13 de fevereiro de 2011

A vitrine da América do Sul é no Chile

images (1)O quê tem em comum Valdivia, Montillo, Conca, Victorino, Cabañas e Lucas Barrios? Aparentemente nada. Uns são meias, outro atacante e ainda um zagueiro. Entretanto todos eram jogadores medianos ou no mínimo desconhecidos até disputarem o campeonato chileno, o novo descobridor de talentos do futebol sul-americano é a vitrine sul-americana, é só escolher e levar.

Não se discute o talento do futebol brasileiro e muito menos dos argentinos, mas por que é preciso partir para o país andino para se destacar? Vejamos, por exemplo, o caso principalmente dos atletas argentinos que partem sem prestígio de seus clubes para arrebentarem no Chile.

images (3)O melhor jogador do Brasileirão ano passado é exemplo disso. Antes de chegar ao Vasco e depois conquistar o nacional pelo Fluminense, Darío Conca passou bons momentos e ganhou título no Universidad Católica. Antes, no entanto, ele era pouco aproveitado no River Plate.

Situação parecida com a do compatriota Montillo. O meia começou no San Lorenzo, jogou no México e retornou ao Gasômetro. Em 2008 rumou para o Universidad do Chile e se destacou. No meio do ano transferiu-se para o Cruzeiro e foi ocnsiderado um dos melhores do Brasileiro.

O Colo-Colo apostou em Valdivia, Arturo Vidal, Humberto Suazo e no argentino naturalizado paraguaio Lucas Barrios. Hoje no líder alemão Borussia Dortmund, Barrios rodou por clubes menores da Argentina e pelo Atlas do México antes de chegar em 2008. No mesmo ano o atacante foi artilheiro no Apertura e no Clausura, com 19 e 18 gols respectivamente.

images (2)Antes deles já passara por lá outro artilheiro. Em 2003 o paraguaio Salvador Cabañas foi artilheiro do Apertura 2003. Carrasco dos flamenguistas e da seleção brasileira, o atacante que foi baleado na cabeça ano passado e hoje treina no Libertad, marcou 18 vezes pelo Audax Italiano. Do Chile ele partiu para fazer fama no México, primeiro no Jaguares e depois no América.

Em 2006 pela primeira vez um jogador que disputava o Campeonato Chileno ganhou o prêmio de melhor jogador da América, o Rey de América, escolhido pelo jornal uruguaio El País. O meia Matias Fernández era uma promessa aos 20 anos e era destaque no Colo-Colo. Hoje aos 24 anos o atleta busca espaço no Sporting de Portugal.

Nesta temporada dois reforços prometem repetir a trajetória de atletas que disputaram o chileno e brilhar no Brasil. O Flamengo trouxe o meia argentino Bottinelli do Católica e o Cruzeiro aposta em Victorino, zagueiro uruguaio.

_Hhy0oNa nova safra de atletas negociáveis, o Católica aposta em Marcelo Cañete recém chegado do Boca. La U contratou Gustavo Canales, a transferência mais cara do clube. No Colo-Colo Marco Medel é a esperança. Aos 30 anos o uruguaio Martín Liguera comanda o Unión Española. Não deixe se enganar pela idade, com a mesma idade Mirosevic foi artilheiro do campeonato passado e foi negociado com o Al Ain dos Emirados Árabes Unidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário